Brametal e Clemar desenvolvem o Celposte, um poste de alta tecnologia para as futuras redes 5G

O 5G em breve estará em operação no Brasil, mas um elemento essencial da sua infraestrutura já está pronto para entrar em funcionamento: o BRA Celposte, um poste de alta tecnologia, desenvolvido em conjunto entre a Brametal e a Clemar Engenharia.

O produto foi totalmente projetado para atender aos novos requisitos das redes 5G. Ele abriga em seu interior uma série de equipamentos de telecom, todos protegidos contra o vandalismo e gerenciados de forma remota. Além de realizar a tarefa mais fundamental de um poste (servir de apoio para o sistema de iluminação pública), ele incorpora uma série de equipamentos eletrônicos de telecom, todos monitorados à distância por uma central, com temperatura controlada e com baterias próprias para não ficar inoperante. Um verdadeiro poste inteligente.

O projeto é fruto de uma parceria entre a Brametal, que desenvolve e produz a estrutura metálica do poste conforme os novos requisitos do 5G, e a Clemar Engenharia, responsável pela inteligência de todos os equipamentos eletrônicos nele embarcados. O CEO da Clemar Engenharia, Inácio Vandresen, comenta que a parceria com a Brametal é antiga: “desde os anos 90 temos projetos em conjunto”.

Novos postes para o 5G

O BRA Celposte foi especialmente desenvolvido para atender à maior demanda por antenas que o 5G deverá exigir. Como o volume de dados transmitidos pelo 5G será muito superior ao atual com o 4G e o 4,5G, a rede futura vai demandar uma maior densidade de antenas nos centros urbanos. O poste permitirá que a infraestrutura de iluminação pública e a de Telecom compartilhem o mesmo equipamento, com um padrão estético que se integra perfeitamente aos espaços públicos.

“O poste vai se incorporar perfeitamente ao mobiliário urbano”, explica Inácio Vandresen. “Para atender ao 5G vamos ter uma demanda por soluções mais densas; será necessário um maior número de torres, não tão altas como as do passado. Os novos postes terão alturas de 15 a 30 metros para abrigar as antenas; as grandes torres de Telecom do passado, com altura de 50 a 100 metros, não servem mais para os requisitos de hoje”, completa.

Um poste inteligente e de alta tecnologia embarcada

O produto pode abrigar antenas e equipamentos como baterias, fontes, filtros, separadores, volutas, ventiladores etc., com total capacidade para suportar todos esses equipamentos de forma segura, pois ficam alojados em seu interior, trancados por portas com parafusos codificados. Por estarem protegidos, o risco de sofrerem atos de vandalismo, como o roubo de cabos e equipamentos, é bem reduzido. O BRA Celposte é fixado no solo com uma fundação do tipo tubulão, onde fica posicionada a caixa de passagem na qual serão instalados os cabos de energia e os de fibra ótica para alimentar os seus equipamentos. “Ele não precisa de muita área”, comenta Vandresen. “O mesmo poste que vai receber as luminárias pode ser um BRA Celposte, com um padrão visual que atende tanto a iluminação quanto a telefonia. Ele Ilumina a cidade e transmite os dados”, acrescenta.

Um poste inteligente e com monitoramento remoto

Este poste inteligente, exige uma série de controles remotos para que os seus equipamentos se mantenham em pleno funcionamento. Em primeiro lugar, por conter uma série de dispositivos eletrônicos em seu interior, o poste exige uma temperatura interna controlada. Ele possui aberturas para ventilação e sensores de temperatura que, quando um determinado índice é alcançado, acionam ventiladores internos para dissipar o calor e expeli-lo ao exterior.

A alimentação dos aparelhos de telecom e de resfriamento é feita pela energia da rede. Em caso de queda no fornecimento de energia, o poste incorpora baterias que mantêm os dispositivos ativos por períodos de 2 a 4 horas. Como explica Vandresen, “o BRA Celposte é todo monitorado. Sensores podem alertar a uma central se um dos postes sofre falta energia, se a sua bateria está carregada, se a sua porta está aberta, se a sua temperatura está elevada etc. Uma placa recebe os dados de cada poste e tudo pode ser controlado remotamente por uma central, capaz de gerenciar a rede de postes, desde que a operadora decida adotar uma central desse tipo”.

Antes de finalizar, Vandresen comenta que, apesar do cliente final desse tipo de poste serem as operadoras de telefonia, os principais clientes deverão ser as empresas de sharing (empresas que investem na infraestrutura de Telecom para depois locar seus equipamentos às companhias de telefonia). “A Clemar e a Brametal fornecem equipamentos sobretudo às empresas de sharing”, afirma Vandresen.

Parceria

Neste projeto avançado, a Brametal manteve a parceria, iniciada nos anos 90, com a Clemar Engenharia. Na ocasião, a Brametal e a Clemar participaram de um consórcio no Rio Grande do Sul para implantar a telefonia móvel e os projetos de entrada das bandas A e B, usando torres autoportantes para Telecom. Desde então as empresas têm mantido parcerias para o desenvolvimento de novas soluções para o setor. Sediada em Florianópolis (SC), a Clemar Engenharia está presente há 51 anos no mercado e sua principal área de atuação é a de Telecom.

Brametal

Considerada a maior fabricante de estruturas metálicas do continente americano, a Brametal conta com capacidade produtiva anual de 200 mil toneladas, produzindo estruturas metálicas de altíssima qualidade para todo tipo de projeto. O foco da Brametal é a durabilidade dos seus produtos, a facilidade de instalação e a segurança dos seus equipamentos. Vale destacar a especial atenção dedicada aos seus processos de galvanização e de ensaios de resistência e carregamento, que seguem às mais exigentes normas nacionais e internacionais.

Rolar para cima